Venezuelanos mantém protestos pró-RCTV; EUA exigem volta da rede

Por Venezuela Real - 1 de Junio, 2007, 18:18, Categoría: Prensa Internacional

Chico Sánchez , Reuters e Associated Press
Folha Online
01 Junio de 2007

Milhares de estudantes marcharam nesta sexta-feira na Venezuela protestando mais uma vez contra o fim da emissora privada RCTV, que não teve sua concessão de funcionamento renovada pelo governo. Fora da Venezuela, a polêmica sobre o fim da TV de oposição ao presidente Hugo Chávez também não pára de crescer: hoje, os Estados Unidos e a Espanha exigiram publicamente que a RCTV possa voltar ao ar.

A decisão de não renovar a licença da RCTV, que estava há 53 anos no ar e era a única rede de oposição de alcance nacional, já havia sido anunciada em dezembro de 2006 por Chávez.

A secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, afirmou que o fechamento da rede isolou a Venezuela em uma região onde a maioria dos países são livres e democráticos. "Nós convocamos o governo venezuelano a voltar atrás e reabrir a TV independente, e a acabar com os ataques à imprensa livre", disse Rice em uma entrevista coletiva.

Rice deu a entrevista após se reunir com o ministro das relações exteriores da Espanha, Miguel Angel Moratinos. "O ministro Moratinos e eu concordamos que essa emissora precisa continuar aberta e que este foi um ato antidemocrático", afirmou a secretária de Estado.

Em Caracas, milhares de estudantes universitários organizaram um protesto na tarde de hoje até a sede da Conferencia Episcopal, onde se reuniram com dois deputados. Os estudantes pretendiam chegar até a Assembléia Nacional, mas foram impedidos pela polícia.

Os estudantes de várias universidades públicas e privadas, que há uma semana se manifestam a favor da liberdade de expressão no país, queriam entregar um documento em defesa da RCTV na assembléia, mas sua manifestação não foi autorizada. Um forte cordão policial cercou o campus da universidade católica Andrés Bello.

Alunos da Universidade Central da Venezuela, considerada a maior do país, foram até a universidade católica e conseguiram retirar o cordão policial. Juntos, os estudantes marcharam até a Conferência Episcopal, onde se reuniram com os deputados Ismael García e Ricardo Gutierrez, do partido Podemos (que apóia criticamente o governo).

Manifesto pró-RCTV

Chávez considera que o fim do canal é um combate ao "capitalismo e à ditadura da mídia". Ele acusa a RCTV de "envenenar" os venezuelanos uma programação que promove o capitalismo.

O canal também é acusado de ter apoiado o golpe que tentou derrubar Chávez do poder em 2002. Ele chegou a passar dois dias preso, mas recuperou o poder logo depois.

Javier Vidal, um dos porta-vozes dos funcionários, afirmou que a nota foi recebida "de forma respeitosa" por Salvador Rodezno, representante da OEA. Ele afirmou que o grupo continuará a "lutar por seus objetivos" e negou que os atos sejam incitados pela oposição.

Drible

"Reiteramos que 'El Observador', da Radio Caracas Televisión, segue na transmissão noticiosa em defesa da liberdade de expressão", diz o apresentadores Pedro Guerrero, num vídeo de quarta-feira (30). A cobertura enfatiza a onda de protestos, que acontecem em Caracas e outras localidades do país.

No espaço de comentários destinado para cada vídeo, internautas debatem em tom acalorado a medida de Chávez de não renovar a concessão do canal. Os filmes já foram vistos mais de 170 mil vezes. O perfil atribuído à RCTV no YouTube já jogou na rede 40 vídeos até agora.

O YouTube também abriga vídeos que acusam a RCTV de manipulações. Em um deles, a apresentadora Berenice Gómez, conhecida como "La Bicha", faz uma falsa denúncia para atacar um evento chavista. Para isso, usa uma foto-montagem --sem avisar ao telespectador de que se trata de uma manipulação de imagem.

Chávez X Lula

Além da pressão interna para suspender a decisão de retirar a RCTV do ar, Chávez envolveu-se em uma polêmica com o governo brasileiro após dizer que o Senado age "como um papagaio" do Congresso americano e que é mais fácil o Brasil "voltar a ser colônia portuguesa do que o seu governo devolver a concessão ao canal oposicionista RCTV".

Nesta sexta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva respondeu às críticas, dizendo em Londres que Chávez "tem que cuidar da Venezuela".

"Eu tenho que cuidar do Brasil e o presidente [George W.] Bush tem que cuidar dos Estados Unidos", disse ele segundo assessores do Itamaraty que acompanham Lula em Londres.

Na terça-feira (29), Lula evitou comentar a decisão de Chávez de fechar a RCTV.

"O que o Brasil tem a ver com essa concessão? É um problema da legislação venezuelana. Da mesma forma que eu não quero que eles [os venezuelanos] dêem palpite nas coisas que eu fizer aqui", afirmou o presidente na ocasião.

Oposição

Para Trino Márquez, 56, doutor em sociologia e professor da Universidade Central da Venezuela, que conversou por telefone com a Folha Online de Caracas, os outros canais de TV da Venezuela não cumprem o papel de oposição que era feito pela RCTV.

A Venevisión, concorrente de alcance nacional, não transmite mais "nenhum tipo de juízo crítico sobre o governo". "Os problemas do país não são examinados em profundidade", avalia.

Segundo Tullo Vegevani, coordenador de estudos da América Latina do Gacint (Grupo de Análise da Conjuntura Internacional), da USP, e professor da Unesp, a oposição venezuelana está "debilitada" desde a eleição de Chávez, e perdeu ainda mais força após a tentativa de golpe, em 2002.






TOME NOTA
de la dirección del
Nuevo Portal Principal

www.venezuelareal.org

Más información ...

Calendario

<<   Junio 2007  >>
LMMiJVSD
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30  

Archivos

Suscríbete

Escribe tu email:

Delivered by FeedBurner

Sindicación

Alojado en
ZoomBlog